Um livro por semana
Um livro por semana
Um livro (do) absurdo
12.dezembro.2020

 

À espera de Godot

 

“(…)
Pozzo – (autoritário) Quem é o Godot?
Estragon – O Godot?
Pozzo – Pensavam que eu era o Godot.
Estragon – Não  senhor, nunca nos passou pela cabeça.
Pozzo – Quem é que ele é?
Vladimir – Bom, é um … é uma espécie de conhecido.
Estragon – Não é nada, mal o conhecemos.
Vladimir – Claro … não o conhecemos lá muito bem… mas de qualquer  das formas…
Estragon – Eu se o visse nem sequer o reconhecia.
Pozzo – Pensavam que eu era ele.
Estragon – (afastando-se de Pozzo) Quer dizer … a escuridão … o cansaço… a fraqueza… a espera… confesso que … por uns segundos… pensei que…
Pozzo – A espera? Estavam então à espera dele)“

 

 

 

 

À Espera de Godot (Edições Cotovia, 2006) foi escrito originalmente em francês (publicado em 1952) e depois traduzido pelo próprio Samuel Beckett para inglês. Esta tradução portuguesa foi feita a partir desta versão inglesa (…).“ A 18 de maio de 2000, os Artistas Unidos estrearam o espectáulo - À Espera de Godot - a partir desta tradução.

 

Artistas Unidos

 

 

À Espera de Godot, de Beckett, esteve nos palcos do Teatro S. Luís, em Lisboa, no ano de 2013, encenado por Carlos Pimenta.

 

À espera de Godot

 

 

«À espera de Godot» no São Luiz

 

“(…)
Pozzo – Ele já não suporta a minha presença. É verdade que não sou propriamente humano mas o que é que isso interessa? ( Para Vladimir). Pense duas vezes  antes de fazer qualquer coisa de que se venha a arrepender.Suponhamos que se vai agora embora enquanto é dia, porque há dúvida que ainda é dia. (Olham todos para o céu.) Muito bem. ( Deixam de olhar para o céu.) O que é que acontece nesse caso – (retira o cachimbo da boca, examina-o) - apagou-se-me – (volta a acender o cachimbo) - nesse caso – (baforada) - nesse caso – (baforada) – nesse caso o que é que acontece ao seu encontro com esse tal de … Godet … Godot … Godin… ou lá como ele se chama, sabe a quem me refiro, aquele que tem nas mãos o vosso futuro… (pausa) … pelo menos o vosso futuro imediato.

(…)
Pozzo - Também gostava de o conhecer. Quanto mais pessoas conheço, mais feliz fico. Até a criatura mais miserável nos pode ensinar, nos pode enriquecer, nos pode tornar mais conscientes das nossas qualidades.”

 

 

Filme baseado na peça homónima de Samuel Beckett

 

Dramaturgo, romancista, crítico e poeta, Samuel Beckett nasceu em Foxrock, subúrbio de Dublin, Irlanda, no dia 13 de abril de 1906 e morreu em Paris em 1989.

Artistas Unidos apresenta-nos uma breve biografia e bibliografia deste autor.

 

 

Samuel Beckett

 Samuel Beckett, Paris, 1964. Imagem: Henri Cartier-Bresson

 

 

 

 

“(…)
Estragon
- Achas que temos de voltar amanhã?
Vladimir – Acho.
Estragon – Vamos poder trazer uma corda boa.
Vladimir – Vamos.
                    ( Silêncio)
EstragonDidi.
Vladimir – Sim.
Estragon -  Não posso continuar assim.
Vladimir – Isso é que tu pensas.
Estragon – E se nos separássemos? Talvez fosse melhor para nós.
Vladimir – Amanhã enforcamo-nos (Pausa.) A não ser que venha o Godot."

 

Outros livros de Samuel Beckett

 Novelas e textos para nada     Mal visto Mal dito     Molloy 

 Dias felizes     Malone está a morrer     Watt


Veja outros "Um Livro por Semana"

ENTRELER
Revista digital, anual, livre e gratuita, sobre leitura, escrita e literacias.